EXCESSO DE PREOCUPAÇÃO

September 13, 2016

 

Talvez você conheça alguma pessoa que se preocupa demasiadamente com tudo. Ou quem sabe, essa pessoa pode ser você mesmo. São pessoas que estão constantemente ansiosas, angustiadas e preocupadas de forma desproporcional com o futuro ou com possíveis catástrofes. Elas não conseguem relaxar, estão sempre preocupadas com algum evento ou atividade, na maioria dos dias.  As mínimas coisas são vistas por essas pessoas, como motivo de ansiedade e preocupação, de tal forma que não conseguem aproveitar a vida. 

É o que em psicologia, chamamos de Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG). Nesse transtorno a pessoa tem grande dificuldade de raciocinar baseada na realidade. Ela interpreta os eventos da vida como potencialmente perigosos, exagerando os efeitos negativos das situações e minimizando ou descartando os positivos.  Ficam presas de tal forma dentro de suas preocupações que não conseguem enxergar possíveis soluções e, consequentemente, têm grande dificuldade para tomar decisões.

A preocupação é desproporcional à probabilidade real ou ao possível impacto do evento.

Embora a pessoa possua plena capacidade de solucionar os problemas da vida, o alto nível de ansiedade e de vigilância acaba prejudicando sua capacidade de raciocínio para gerar soluções possíveis. Além disso, é comum a pessoa se esquivar, através da procrastinação, o que dificulta a solução dos problemas.

A pessoa com TAG superestima a probabilidade de que ocorra um evento negativo e se o evento não ocorreu ela acredita que foi por sorte ou porque a sua preocupação evitou que algo pior viesse a acontecer. Esses são erros cognitivos, ou seja, interpretações equivocadas da realidade, presentes na pessoa com TAG.

O foco de preocupação das pessoas com TAG inclui a saúde da família, desgraças com seus filhos, preocupação com finanças, atrasos, responsabilidades com o trabalho, compromissos assumidos, eventos futuros, como por exemplo, uma viagem, entre outras. 
  
Ansiedade normal x ansiedade patológica
Todos nós temos ansiedade, pois ela é um mecanismo de autopreservação e é ela quem nos motiva para viver e trabalhar. Porém, quando a ansiedade é excessiva, ela está se tornando patológica e precisa ser tratada. Ela apresenta um sofrimento significativo que atrapalha sua vida pessoal, social ou profissional.


Causas e sintomas

Agora, por que essas pessoas desenvolvem esse transtorno? Existem fatores tanto genéticos quanto biológicos e ambientais na origem da TAG. Com relação aos fatores genéticos, pessoas com pais ansiosos têm maior probabilidade de desenvolver o TAG. A química cerebral também contribui quando há um desequilíbrio de substâncias químicas, como serotonina, dopamina e noradrenalina. Já os fatores ambientais têm a ver com história de vida da pessoa; vivências de traumas e abusos na infância, assim como o convívio com pessoas ansiosas, favorecem o desenvolvimento de transtornos de ansiedade porque a criança aprende a ser ansiosa vendo o comportamento das pessoas ao seu redor.

A pessoa com TAG apresenta alguns sintomas, como por exemplo, inquietação, sensação de estar com os nervos à flor da pele, irritabilidade, fadiga, dificuldade de se concentrar, sensação de “branco” na mente, perturbação do sono, tensão muscular, tremores, dores musculares, falta de ar, tontura, náusea, diarreia, entre outros.

 

Tratamento

O tratamento através da terapia cognitivo-comportamental envolve primeiramente a psicoeducação, que é informar ao cliente sobre a Ansiedade Generalizada, como ela atinge e prejudica a pessoa, e o que se pode fazer para controlá-la. Além disso, a terapia envolve, por meio de exercícios, a redução da ansiedade, identificação dos pensamentos e das crenças disfuncionais que alimentam o processo ansioso, treino de solução de problemas e habilidade de fazer escolhas.

Se você apresenta os sintomas descritos acima, entre em contato conosco. Teremos prazer em ajudá-lo.

Please reload

Posts Recentes

September 13, 2016

June 9, 2016

Please reload

Arquivo
Please reload